(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({google_ad_client: "ca-pub-2764936403777216",enable_page_level_ads: true});

Bem vindo ao nosso site

Olá, nesse site estarei postando meus últimos trabalhos em crochê como também técnicas de como fazer você mesmo. No futuro pretendo disponibilizar aqui mesmo meus produtos para venda. Obrigada e espero que gostem.


Vídeo Aulas

Uma seleçao de vídeos ensinando passo a passo a como fazer inúmeros produtos em crochê.


Serviços

Faça sua encomenda conosco, trabalhamos com uma enorme gama de produtos personalizados em crochê. Desde biquinis até capinhas para celular. Faça já sua encomenda.

A História do Crochê

A palavra Crochê vem de um termo existente no dialeto nórdico, que significa gancho, referindo-se a forma do bico da agulha de Crochê que puxa os pontos. Tem sua origem também na palavra francesa “croc”, que em francês tem o mesmo significado.

Segundo os historiadores, os trabalhos de crochê têm origem na pré-história. A arte do Crochê, como nos dias de hoje, foi desenvolvida no século 16. Um escritor dinamarquês, chamado Lis Paludan, tentou descobrir onde o Crochê se originou na Europa e fundamentou algumas teorias, sendo a mais provável a de que a técnica se originou na Arábia e chegou à Espanha pelas rotas comerciais do Mediterrâneo.

Posteriormente, essas técnicas se difundiram entre tribos da América do Sul, que usavam os adornos de crochê nos rituais de puberdade. Na China, bonecas eram feitas com a mesma técnica. Porém, não se tem evidências concretas sobre exatamente onde se originou esta arte.

1700: Outra teoria sugere que o Crochê se originou de uma técnica de costura chinesa, uma forma primitiva de bordado que foi difundida no Oriente Médio e chegou à Europa em torno de 1700.

1800: No entanto, o que se sabe é que o Crochê ganhou espaço a partir de 1800, quando a francesa Riego de La Branchardiere desenhou padrões que podiam ser facilmente copiados e publicou um livro para que outras pessoas pudessem reproduzir tais desenhos.

O Crochê é um trabalho que pode ser feito usando qualquer tipo de fio, basta ter a agulha ideal e muita criatividade.


5 dicas para viver de artesanato e ter sucesso no seu negócio

5 dicas para viver de artesanato e ter sucesso no seu negócio
Eder Machado, especialista no assunto, compartilha 5 dicas para quem está construindo seu negócio no artesanato
Viver de artesanato é possível! Nas fotos, as Tildas de Lu Gastal, artesã e empresária de sucesso, que faz bastante divulgação de seu trabalho na internet Viver de artesanato é possível! Nas fotos, as Tildas de Lu Gastal, artesã e empresária de sucesso, que faz bastante divulgação de seu trabalho na internet Meu Ateliê
Facebook
Adicionar aos
Whatsapp
Comentários 33
Post de 28 de junho de 2016 Escrito por Cristina Luckner

Viver de artesanato é possível. Mas, você sabe como transformar o trabalho que faz na sua casa ou em seu ateliê, em um negócio? Neste post, você vai aprender os cinco passos para fazer seu negócio de artesanato acontecer — e bombar!
Eder Machado é especialista em marketing digital (crédito da foto: Paulo Gomes)
Eder Machado é especialista em marketing digital (crédito da foto: Paulo Gomes)

Conversamos com o Eder Machado, consultor de marketing digital, empreendedor e criador do blog Como Vender Artesanato. Para Eder, a primeira mudança está em nós mesmos, é preciso mudar a nossa forma de ver o artesanato. “De técnica, o mercado está muito bem. O que falta é motivação, olhar de negócio. É preciso mudar a percepção de que trabalho digno é só aquele com CLT, carteira assinada”, diz.

Aprenda como precificar seu artesanato!

“Eu vejo um novo começo de era…”

A música de Lulu Santos avisa que o mundo está mudando. Vemos o fenômeno do “eupreendedorismo” (eu + empreendedorismo) crescer e uma exigência por fazer do trabalho uma atividade prazeirosa, além de rentável.

Negócios inovadores, preocupação com o social, economia criativa, negócios colaborativos e consumo consciente invadem o mercado e nos fazem ter contato com essas novas nomenclaturas. Estamos meio cansados do que é industrializado, massificado e do eletrônico. Queremos o personalizado, feito à mão, o artesanal. Menos isolamento, mais toque. Esse é um bom lema para o futuro, não? Diz aí, Eder:

Sim, realmente há uma mudança de pensamento e no segmento de artesanato isso também está mudando. Cada vez mais, vemos experiências de pessoas que são bem-sucedidas nessa área e que conseguem viver de artesanato

Hmm, então quer dizer que começa uma onda de valorização de tudo que é artesanal? Sim! Olha que oportunidade bacana (e com um mundo a ser explorado!). A busca por cursos de artesanato, por capacitação e profissionalização da área, alavanca e qualifica o mercado, na opinião de Eder.

E para colocar todas essas dicas incríveis do Eder em prática por aí, que tal começar a participar de feiras de artesanato e bazares? É uma ótima oportunidade de negócio. Dá uma olhada nesses conteúdos:

Feiras de artesanato: um guia para você descobrir oportunidades de negócio
Bolsas e acessórios: turbine suas vendas em feiras e bazares

Essas são as dicas do Eder para quem quer viver de artesanato:

1. Defina seu nicho de mercado
Com a internet, é possível trabalhar com nichos. Na internet, com uma demanda pequena, é possível atingir todas as pessoas interessadas nessa demanda e ter um negócio rentável, no Brasil e no mundo.

Por isso, estamos vendo crescer as vendas de lojas on-line especializadas em cadernos artesanais, bonecas de tecido ou enxoval para bebê.
Site de venda do Lilou estudio
Site de venda do Lilou estudio

Para ter uma loja online hoje em dia é muito simples. A Danieli Barbara, autora de cursos de encadernação da eduK, contou como se planejou para largar o emprego fixo e empreender. Em pouco tempo, você pode montar sua loja e colocar à venda seus produtos e viver de artesanato!

Guia básico de encadernação: por onde começar

2. Capacite-se na gestão do negócio
Desenvolva sua loja, estude e defina seu preço de mercado. Pesquise custos fixos, custos variáveis, para então ter a visão de lucro e de ganho. É preciso saber até onde você pode negociar, dar desconto. Busque capacitação em ferramentas como Excel, Facebook Ads, Google AdWords, plano de negócio, planejamento estratégico, gestão de negócios e o que mais você julgar necessário.

4 dicas para lidar com altos e baixos nas vendas em artesanato sem sofrer

Printas, especializados em produtos customizados, vendem online e divulgam seus produtos em feiras de artesanato e design.
Printas, especializados em produtos customizados, vendem online e divulgam seus produtos em feiras de artesanato e design

Vanessa Alves, empreendedora, criadora do Ateliê Parece Gente e autora do curso Bonecas de pano: clássicos infantis da eduK, investiu em capacitação e colhe os resultados em seu trabalho. Vanessa foi buscar um choque de empreendedorismo: procurou o Sebrae e participou do Empretec. Durante a capacitação, Vanessa fez algumas mudanças, como modificar o modelo de suas bonecas de pano. Aqui no Artesanato e Ponto, ela deu dicas para quem quer empreender.

5 dicas de como fazer a gestão de sua marca de artesanato

3. Invista em divulgação na internet
Esqueça os altos investimentos e a necessidade de contratar uma agência de publicidade. Se você é um “eupreendedor”, você pode fazer um anúncio customizado para a audiência que você escolher, a partir de R$ 20 no Facebook, por exemplo. “As redes sociais são poderosíssimas e investir em anúncios no Google e Facebook dá retorno. Se meu público, que defini lá no primeiro ponto, são mulheres grávidas, eu posso mostrar meu anúncio só para esse público”, explica Eder.

Como divulgar e vender seu artesanato na internet

O especialista indica começar criando uma página no Facebook e investindo em Facebook Ads. Mas nem só de anúncios vive uma marca e se conquista clientes! “Trabalhe a sua fanpage, poste conteúdo. Voltando ao ponto do nicho: faça publicações que interessam a esse nicho. Atraindo a atenção do seu público, posteriormente, a venda vai acontecer”, reforça Eder.

Tudo sobre Facebook para seu negócio

5 dicas para viver de artesanato
Página do ateliê Boutique do Feltro, da Fernanda Lacerda, é um ótimo exemplo de falar com seu nicho de mercado

A Nanda Sellan é adepta dessa estratégia. Na entrevista que fizemos sobre a virada na sua vida, ela conta: “eu vendo sapatinho para bebê, posso procurar uma reportagem sobre maternidade e postar no meu Facebook, pois sei que minha clientela se interessa por esse assunto”.

Aprenda a fazer sapatinho para bebê
Sapatinho para bebê ganha enfeite criativo nesse PAP em vídeo

Lu Gastal e seu patchwork de ideias é outro exemplo que vale destacar. A artesã e empresária começou divulgando seu trabalho em um blog na internet. Veja todos os cursos da Lu Gastal na eduK.

Guia básico sobre patchwork
Como fazer um porta-moedas em patchwork passo a passo

Outras ferramentas que merecem atenção

Instagram
Também é uma ferramenta genial para o pequeno empreendedor.

Pinterest
O artesão pode usar muito essa ferramenta para divulgar e se inspirar.

Periscope
Uma novidade muito legal. É uma grande oportunidade para o pequeno empreendedor, artesão, você pode interagir e até tirar dúvidas do cliente.

Youtube
É considerado o segundo maior buscador do mundo. Só perde para o Google. Para os vídeos, valorize seu trabalho; é legal mostrar o ateliê, o ambiente de trabalho e o processo por trás da produção de seu produto.

WhatsApp
É uma ferramenta de aproximação, para manter o relacionamento com quem já é cliente. Eder indica no pós-venda. “As vantagens são a resposta imediata e a aproximação com o cliente. No primeiro momento, não é tão interessante massificar. Tenha chip somente para atendimento no WhatsApp, não divulgue na internet seu número pessoal”.

Para viver de artesanato, é mais conveniente manter um cliente fiel, do que investir para conquistar um novo.

4. Repasse a valorização que seu trabalho merece a seu cliente
Existem duas variáveis que o artesão possui e muitas vezes não valoriza: habilidade e tempo. Por isso é importante se posicionar como profissional. Defina seus horários de trabalho e respeite-os, tenha responsabilidade com seus clientes, respeite prazos. Você valoriza seu trabalho como artesã? Então repasse essa valorização aos clientes. Isso é viver de artesanato.

Uma das grandes dúvidas de quem tem um negócio criativo e vende produtos artesanais é como e quanto cobrar por esse trabalho. Você já deve ter se perguntado qual é a melhor maneira de precificar seu trabalho. No curso Como precificar seu artesanato, a coach Jo Ludwig ensina tudo o que você precisa saber para ganhar dinheiro, ter um preço justo para o seu trabalho e ainda reinvestir no seu negócio.
Bonecas à venda na feira Mega artesanal (crédito da foto: Karina Díaz)
Bonecas à venda na feira Mega artesanal (crédito da foto: Karina Díaz)

5. Pense no futuro
O profissional que já tem certa experiência, pode ensinar: vender projetos, apostilas. Isso é legal, pois a pessoa que ensina tem por obrigação se manter atualizada. Ela se torna referência no mercado. Você não precisa parar de fazer suas produções, pode atuar em paralelo. Se relacione e procure contatos. Tudo é inspiração. Para mexer no lado criativo, visite feiras, vá ao cinema, compre e leia revistas e livros, observe a natureza. O grande segredo aqui, que vem com um pouco de prática, é saber como juntar essas informações e traduzi-las em seu produto e sua marca.

Já conhece nosso guia de como se tornar MEI e crescer como empreendedor?

Dica final: é importante se enxergar como empreendedor
Você pode e deve trabalhar com aquilo que lhe dá prazer, não há nada de errado em ser remunerado com aquilo que você ama. “O ‘eupreendedor’ tem que estar focado em todas as partes do negócio para mantê-lo funcionando”, ressalta Eder.

Conheça os cursos de empreendedorismo criativo da eduK. A dose de coragem que você precisa para montar seu negócio e viver do que você ama!

O que você achou das cinco dicas? Como está sendo a construção do seu negócio? Você valoriza seu trabalho artesanal?

Mais...

Aprenda a Técnica Prática Para Fazer Crochê com Pedaços de Tiras de Tecido Passo a Passo

Aprenda a seguir como fazer crochê com pedaço de tecido passo a passo. Capriche na confecção do seu artesanato.

Crochê com Pedaço de Tecido
Crochê com pedaço de tecido é bem interessante
Crochê com Pedaço de Tecido Passo a Passo
Para fazer este artesanato você irá precisar de:

Pedaço de tecido;
Tesoura comum;
Agulha para crochê com espessura que permita trabalhar tranquilamente com tiras de tecido.

croche-com-predaco-de-tecido
Comece separando todos os materiais que você vai utilizar no aprendizado de como fazer crochê com pedaço de tecido passo a passo. Corte o pedaço de tecido em tiras, mas com todas as tiras devendo ter a mesma espessura. E lembre-se de que se você for fazer uma peça bem grande de crochê você vai precisar de muito tecido. E para não emaranhar o seu “fio” de tecido, vá enrolando as tiras de tecido em uma bola, antes de começar a fazer o crochê.

Comece o seu crochê fazendo seis correntinhas, unindo estas correntinhas para criar um círculo. Preencha este círculo com pontos baixos ou com pontos altos, de acordo com a sua preferência.

croche-com-predaco-de-tecido2
(Foto: coffeeandvanilla.com)


Para unir as tiras de tecido você deve cortar as duas pontas, com um corte pequeno e simples, seguindo o comprimento da tira; passar uma tira pelo corte da outra e laçar as pontas das tiras, através dos cortes. Esta emenda também é utilizada quando se quer mudar de cor no meio do trabalho.
Para fazer um suporte para copo ou até mesmo uma toalhinha colorida, por exemplo, você deve ir fazendo carreiras de ponto baixo ou de ponto alto, e conforme for fazendo as carreiras, ir posicionando dois pontos juntos em alguns pontos, para o trabalho não repuxar. E siga fazendo o crochê até alcançar o tamanho desejado para a sua peça.

croche-com-predaco-de-tecido3
(Foto: coffeeandvanilla.com)
Créditos:http://www.coffeeandvanilla.com/recycled-t-shirt-crochet-rug/
Fonte: http://www.artesanatopassoapassoja.com.br/croche-com-pedaco-de-tecido-pas